Descoberta enjoada e enojada

lobisomem pantano“As minhas mãos tremiam quando abri a janela.

Eu tinha que ver melhor e descobrir o que tinha no quintal.

Puxei as calças do pijama para cima e então, segurando no peitoril, pulei a janela.

Senti a grama úmida debaixo dos pés descalços. Olhei para o cercado e vi que os seis veados pantaneiros estavam parados juntos, perto da casinha, e pareciam agitados. Os seus olhos negros me seguiram quando comecei a atravessar o gramado.

‘O que era aquela coisa?’, eu me perguntei, olhando para a luz prateada.

Era só um monte de trapos velhos?

Não.

Mas o que era?

18

OS MEUS pés descalços ficaram frios e molhados quando atravessei o gramado coberto de orvalho devagar. O ar da noite estava abafado e parado como a morte.

Quando me aproximei bastante para ver o que estava deitado na grama, soltei um grito e comecei a ficar enjoado.

Apertei a mão contra a boca e engoli a saliva.

Ali, no chão, […]”

 

Trecho do livro O lobisomem do Pântano da Febre (The werewolf of Fever Swamp), de R. L. Stine. Editora Fundamento.

This entry was posted in Aventura, Literatura, Suspense, Terror and tagged , , , , , , , , , , , , , , . Bookmark the permalink.

One Response to Descoberta enjoada e enojada

  1. O blog ficou lindo com esse layout novo! Parabéns.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s